CARLOS CUNHA

Um vencedor dentro e fora das pistas: campeão da STOCK CAR LIGHT, em 1998, Carlos Cunha teve seu nome registrado 6 VEZES NO GUINNESS BOOK OF RECORDS, com as seguintes marcas:

1º Recorde: Percurso em duas rodas: 33 km de distância.
2º Recorde: Percurso em duas rodas: 218 km e 200 m de distância.
1º Recorde: Velocidade em duas rodas: 137 km/h.
2º Recorde: Velocidade em duas rodas: 155,844 km/h.
Percurso em duas rodas com caminhão: 3,5 km de distância
Vôo com carro: 31,0 metros e 42 centímetros.

DIREÇÃO DEFENSIVA

Confira abaixo algumas das importantes dicas que o motorista Carlos Cunha oferece a você sobre este assunto tão importante.
O Senhor Jesus disse que devemos cumprir as leis do homem para compreendermos as leis de Deus. Por isso, cumpra as Leis de Trânsito.

  • Primeiros passos para uma direção defensiva:

  • Podemos agrupar as técnicas de direção defensiva em cinco itens:

  • Para fugir de acidentes, evite:

  • Os fatos do trânsito:

  • Grande macete da direção defensiva é:

  • Fatores que merecem atenção e podem interferir e prejudicar a direção defensiva:

  • Dirigindo prevendo os erros dos outros:

  • Direção defensiva:

  • Dicas da direção defensiva:

  • Aprender certo:
  • Ajustar:

    Posição do Banco
    Para verificar o ajuste, o condutor deve empunhar o volante com as duas mãos, imitando os ponteiros de um relógio, indicando 15 minutos para as 3 horas; nessa condição, com o carro parado, fazer um X com os braços, dando um giro de 180º no volante: assim o condutor terá domínio total do veículo, com acesso fácil e confortável aos botões e pedais de comando e ao volante.

    Espelhos retrovisores
    Ajustar de forma a ter o mais amplo campo de visão da traseira e das laterais do veículo, sem precisar mover o corpo ( ATENÇÃO: existem pontos bastante extensos em todos os veículos, principalmente do lado do motorista, que os espelhos retrovisores não alcançam: são os chamados pontos cegos . Ao mudar de faixa sinalize com antecedência e certifique-se de não estar sendo ultrapassado).
    É preciso conhecer bem a legislação e o veículo, entre outras coisas.

    • A legislação: leis e toda estrutura jurídica e social relacionada com o trânsito. É preciso conhecer e cumprir o Código de Trânsito Brasileiro. Além de conhecer seus direitos e deveres, o condutor deve conhecer e praticar as regras de convivência: atitudes educadas, pacientes e compreensivas ajudam a fazer um trânsito seguro.
    • O veículo: Leia o Manual do Proprietário do seu veículo e siga as instruções do fabricante. Verifique qual o giro adequado do motor para a troca de marcha. Antecipar ou atrasar as trocas de marchas causam desconforto aos passageiros e provocam aumento no consumo de combustível.

    • As condições adversas: são todas que podem prejudicar o desempenho do condutor, aumentando a possibilidade de um acidente acontecer. É importante lembrar que raramente elas aparecem isoladamente, fazendo o perigo ser ainda maior. Podemos citar: luz (falta ou excesso), tempo (chuva, calor excessivo, frio, etc), vias, trânsito, condutor, veículo (falta de manutenção adequada, desconhecimento de suas características, uso inadequado, etc).

    • Atenção: pequenas distrações podem ser fatais; o ato de dirigir exige concentração exclusiva. A atenção deve ser direcionada a tudo o que se refere ao ato de dirigir: condições da via, sinalização, tempo, condições físicas, mentais e emocionais do condutor, manutenção do veículo, itinerário, etc. O condutor precisa estar ciente de que a qualquer momento pode surgir uma situação de risco e estar pronto para tomar a atitude necessária para evitar um acidente.

    • Previsão: antecipar os possíveis acontecimentos e estar preparado para reagir imediatamente. Fatos corriqueiros no trânsito podem ocasionar um acidente: furo de pneu, pedestre distraído, uma criança que escapa de seus acompanhantes, óleo na pista, buracos, ações equivocadas de outros condutores... Não é difícil para um condutor que dirija defensivamente, basta preparar-se para essas eventualidades.

    • Habilidade: Conhecer e ter domínio total sobre o veículo e sobre o que se faz. A habilidade se obtém através de aprendizado correto e constante e da prática contínua.

    • Decisão: Uma tomada de decisão depende do conhecimento das situações que se apresentam e das possibilidades do veículo, das normas que regem o trânsito, do espaço e do tempo de que se dispõe. A decisão depende ainda da habilidade e da experiência do condutor, do seu preparo para prever acertadamente as situações de risco, das condições do veículo e da via. O condutor tem que estar atento a tudo, inclusive ao que acontece na sua traseira, para que a decisão seja suficientemente rápida e precisa para protegê-lo e aos demais envolvidos na mesma situação.
    • Ação: é a combinação de decisão e habilidade.
    • Álcool, substâncias tóxicas ou remédios (alguns remédios, mesmo com recomendação médica, alteram o estado geral das pessoas, prejudicando o desempenho ao volante).

    • Aquaplanagem ou hidroplanagem. Ocorre com freqüência, como resultado da combinação da velocidade do veículo, o tipo da pista, calibragem dos pneus, profundidade da água e dos sulcos dos pneus e atenção insuficiente do condutor. A camada de água sobre o pavimento, mesmo sendo rasa, faz o pneu do veículo perder contato com o piso, provocando descontrole total do veículo. Isto acontece porque a velocidade excessiva para as condições do tempo impede que os sulcos dos pneus dêem vazão de maneira eficaz à água da pista, provocando o deslizamento.

    Se estiver chovendo examine os frisos dos pneus, calibre-os corretamente, fique atento às condições da pista, evite passar sobre poças d´água, reduza a velocidade e mantenha-se alerta.

    • Corrija e aperfeiçoe sempre sua maneira de conduzir. A condução incorreta do veículo é uma das maiores causas de acidentes em ruas e estradas, a maior parte das vezes provocadas por desconhecimento de detalhes de comportamento e das normas de trânsito que visam manter a segurança nas vias.

    • Não conduza com fones de ouvidos conectados a qualquer tipo de equipamento de som ou telefone celular.

    • Conduza sempre com as duas mãos no volante, evite acender cigarros ou apanhar objetos dentro do veículo em movimento, fazer movimentos ou manobras bruscas, desviar sua atenção do ato de dirigir, participar de brincadeiras. Fique sempre atento.

    Conduzir veículos de maneira incorreta pode resultar em multa. Exemplo: usar fones de ouvidos é uma infração considerada média com perda de 4 pontos (Art.252 – VI – CTB)
    As estatísticas demonstram que, a cada ano, são centenas de milhares as vítimas de acidentes de trânsito no Brasil. Dentre elas, aproximadamente 50 mil são vitimas fatais, das quais quase 30 mil morrem no local do acidente. São computados em dezenas de milhares, também, os sobreviventes que se tornam inválidos.

    O impacto social causado pelas mortes no trânsito é muito intenso, pois a grande maioria das vítimas tem entre 18 e 35 anos e pertence à faixa economicamente mais produtiva e ativa da nossa sociedade.

    Todos nós somos usuários diários do trânsito, seja como passageiros, pedestres ou condutores; somos responsáveis pelo bem estar desse meio social. Porém, quanto à segurança no trânsito, sem dúvida a maior responsabilidade cabe aos condutores.

    Muitos motoristas não têm consciência desta responsabilidade. É comum ouvirmos relatos de acidentes onde o condutor aponta como “culpa” a falta de acostamento, a chuva, um buraco na pista, entre diversos outros fatores.

    Após analisar as causas de milhares de acidentes, foi possível chegar às seguintes conclusões:
    90% dos acidentes são causados por falhas humanas;
    4% são causados por falhas mecânicas;
    6% são causados pela má condição das vias.
    • Se não sabe não faça.

    • Se tiver dúvidas não faça.

    • E se não precisa fazer, também não faça.

    LEMBRE-SE: O trânsito envolve muitas pessoas. Ele é coletivo. Ao dirigir pense sempre nos outros e em facilitar o fluxo de todos os veículos.
    • Condições físicas, mentais e emocionais do condutor; álcool e drogas.
    • Reflexo
    • Visão
    • Luz (tanto solar, quanto artificial; ofuscamento, insuficiência)
    • Fadiga
    • Receio, falta de confiança.
    • Pressão
    • Falta de habilidade. Domínio incompleto sobre o veículo
    Uma das melhores formas de evitar acidentes é estar preparado para os erros dos outros. Isso oferece mais tempo para reação.

    Numa pista de mão dupla, ao receber um farol alto, não olhe para o outro veículo. Olhe para o centro da pista; para o resto, use sua visão periférica.

    Um veículo fazendo ziguezague na pista, mesmo que levemente, indica que o motorista está ensonado ou bêbado. Afaste-se desse veículo.

    Enfim, dirija sempre com atenção. Jamais pense que o veículo faz parte de você. O veículo é um equipamento, uma máquina que responde às leis da física e aos comandos de seu condutor e é muito mais forte e pesada que um ser humano.
    Direção defensiva é um estilo de pilotagem veicular, de modo a evitar acidentes, apesar das ações incorretas dos outros e das condições adversas que encontramos nas vias de trânsito, na qual o motorista tem especial preocupação com segurança e economia. Tal preocupação não se restringe só à sua maneira de conduzir, mas, também, com a dos outros condutores.

    Um motorista que dirige defensivamente percebe e reage mais rapidamente quando os outros erram, tendo mais tempo para as correções; condutores que utilizam constantemente as técnicas de Direção Defensiva raramente se envolvem em acidentes ou cometem infrações. Para isso, o condutor precisa estar sempre atento e ter a capacidade de entender o que esta acontecendo e saber o que é do seu próprio controle:

    É necessário eliminar fatores negativos que influenciam a maneira de conduzir e, entre os principais problemas com o condutor, estão:
    • Dirigir sob o efeito de álcool ou substâncias que influenciam o estado físico, mental ou emocional;

    • Negligência – falta de atenção, falha de observação;

    • Imprudência – dirigir fora das normas recomendadas, excesso de velocidade.

    • Imperícia – inexperiência ou falta de conhecimento do veículo ou do local.
    Para dirigir de forma defensiva não é necessário ter conhecimento especializado de mecânica, mas, isto sim, tomar várias precauções para evitar envolver-se em situações de risco, percorrer o trajeto sem cometer infrações de trânsito, sem cometer abusos com o veículo, sem atrasos de horário, sem faltar com a cortesia devida e sem envolver-se em acidentes.

    • Antes de viajar, faça a checagem dos principais itens do veículo numa concessionária autorizada. Aqui, na Carlos Cunha Veiculos e Peças, isso é feito gratuitamente e o cliente paga apenas os serviços realizados e itens trocados, se houver necessidade. Nessa checagem são verificados:

    • Faróis e luzes em geral, óleo do motor, freios, calibragem dos pneus, palheta do limpador do pára-brisa, nível de água dos sistemas, etc.

    • Faça periodicamente e antes de viajar balanceamento das rodas e alinhamento da direção.

    • IMPORTANTE. O pedal de freio numa necessidade de freada brusca deve ser acionado com toda força. Por isso é importante dirigir com calçados adequados. Se o veículo estiver equipado com ABS, mesmo que ele esteja freado o condutor tem controle da direção; os veículos sem ABS, quando totalmente freados, não respondem aos comandos da direção.

    • Informe-se sobre as condições do trajeto que você irá seguir. Procure saber a respeito de locais de atendimento para você e seus acompanhantes e para o seu veículo: Polícia Rodoviária, postos de combustível, hotéis, restaurantes, atendimento médico, etc.

    • Ao entrar numa rodovia em que os veículos trafegam em maior velocidade, tenha em mente que você é parte integrante do movimento: ganhe velocidade pelo acostamento, movendo-se de forma adequada às condições da pista e do trânsito local, acompanhe os demais veículos e entre sempre na primeira pista. Desta forma você não irá atrapalhar o fluxo dos veículos.

    • Se o pneu furar em qualquer situação, não pise no freio: alivie o pé do acelerador, mantenha o veículo em movimento e procure um lugar seguro para diminuir a velocidade e parar. Se o condutor frear nessa situação, toda a carga da frenagem será dirigida à roda com pneu furado, podendo, conforme a velocidade, causar um capotamento; no mínimo ocorrerá uma brusca alteração na direção que o veículo segue.

    • Nunca pare sobre pontes ou viadutos. Mantenha-se no ritmo da maioria, procurando nunca frear bruscamente, não parar sobre a pista, não dar marcha à ré e não fazer manobras na pista. Se perder uma saída ou retorno, siga até a próxima. É mais seguro.

    • Obedeça à sinalização, mantenha distância do veículo à frente e esteja sempre atento. Lembre-se: você só terá uma oportunidade de fazer uma manobra evasiva.

    • No início da chuva diminua a velocidade, acenda os faróis e ligue o limpador depois que a água tiver tirado a poeira do pára-brisa. Se o limpador for ligado de imediato, o vidro poderá ficar sujo e prejudicar a visão.

    • Com chuva a velocidade tem que ser menor. Em corridas com a pista molhada o tempo da volta é bem maior do que com tempo seco; o mesmo se aplica no trânsito normal, seja em rua ou estrada: com chuva o percurso é bem mais lento, podendo até mesmo ser o dobro do tempo; o espaço e o tempo exigidos para parar são maiores e qualquer manobra é mais demorada e exige mais atenção.

    • Na estrada molhada o pneu deixa marcas na pista que podem ser notadas pelo retrovisor. Se a visibilidade permitir e o condutor não perceber essas marcas, deve diminuir ainda mais a velocidade e, assim que possível, verificar o desgaste dos pneus.

    • As ultrapassagens só devem ser feitas pela esquerda. Antes de ultrapassar ou mudar de faixa sinalize, olhe pelos retrovisores, olhe de novo e certifique-se de que não há algum veículo no ponto cego. Após a ultrapassagem só retorne à faixa de origem após ver no retrovisor o veículo que ultrapassou e sinalizar o retorno.

    • Estar concentrado para dirigir leva o condutor a fazer uma viagem tranqüila. Repouse o necessário antes de iniciar a viagem, faça refeições leves. Bebida alcoólica e cigarro diminuem os reflexos. Não acenda cigarros enquanto estiver dirigindo; cigarro dá câncer, mas também mata muita gente no trânsito . Não beba álcool durante a viagem e nem nas 24 horas anteriores. Fique muito atento, pois o motorista não percebe quando começa a dormir ao volante e a fadiga reduz drasticamente os reflexos.

    • IMPORTANTE. Leia o Manual do Proprietário, siga as instruções do fabricante e procure conhecer cada detalhe do seu veículo. Se ocorrer alguma situação de urgência, é importante conhecer as reações do veículo, como ele responde à aceleração ou à frenagem, como rapidamente trocar de marcha, a localização dos botões de comando, sua autonomia, etc.

    • Conheça a autonomia de seu veículo e verifique se o volume de combustível dá para chegar ao seu destino com margem de segurança. Em caso de dúvida: abasteça.
    A partir destes dados, verificou-se também que a grande maioria das falhas humanas pode ser evitada, tomando-se alguns cuidados básicos. Esses procedimentos foram analisados e sistematizados: o conjunto desses procedimentos recebe o nome de direção defensiva e a sua prática está ao alcance de todos os condutores.

    CARLOS CUNHA EM OUTRAS MÍDIAS